A Torre e o Templo

4
2258

“E disseram: Eia, edifiquemos nós uma cidade e uma torre cujo cume toque nos céus, e façamo-nos um nome, para que não sejamos espalhados sobre a face de toda a terra.” (Gn. 11:4)

Nas antigas lendas sumérias, é dito que a imponente e impressionante cidade da Babilônia – na atual região do Iraque – foi fundada para que pudesse ser a casa dos deuses.

A Bíblia Hebraica nos conta um pouco sobre essa história, ao revelar o objetivo dos moradores da terra de construírem uma torre que se estenderia até o céu.

Porém, observe uma coisa curiosa: Eles não queriam ir até o céu para que pudessem ter uma revelação sobre o Senhor, ou para que pudessem estar mais próximos das regiões celestiais. Não foi um esforço na direção do Criador. Nem sequer na direção daquilo que eles próprios concebiam como sendo o Criador!

Ao contrário, o objetivo é citado explicitamente: “Façamo-nos um nome.”

Compare isso com o momento em que Davi resolve construir um Templo: “Disse o rei ao profeta Natã: Eis que eu moro em casa de cedro, e a arca de Deus mora dentro de cortinas.” (2 Sm. 7:2)

Enquanto os construtores da Torre de Babel queriam fazer uma grande obra religiosa em benefício próprio, Davi tinha outra motivação. Ele estava incomodado em ter um palácio mais imponente do que a própria Casa do Senhor.

A motivação de Davi era nobre, e por isso o Senhor o honrou em seu pedido, mesmo deixando claro que Ele não habita em Templos feitos por mãos humanas.

Quando avaliamos nossa vida espiritual, e os nossos próprios atos, devemos sempre nos perguntar: Estamos sendo como os construtores da torre de Babel, ou como o rei Davi?

O que mais se vê por aí são pessoas que se preenchem de preceitos religiosos e cada vez querem mais elementos ritualísticos em suas vidas, mas sem que seu coração esteja, de fato, dobrado ao Senhor.

Esses não o fazem por amor ao Eterno, mas sim para edificarem seus próprios nomes, exatamente como os construtores da torre de Babel. E nisso é fácil reconhecê-los: Sempre criticam aqueles que não fazem o que eles fazem, pois precisam de um vilão para poderem se auto-declarar paladinos da justiça.

Melhor é deixar isso de lado, e buscar realmente fazer aquilo que honrará o Criador, pois é a Ele que devemos honrar a cada instante de nossas vidas.