Como testemunhar sobre o Monoteísmo? – Parte I

2
1340


“Eis o meu servo, a quem sustento, o meu escolhido, em quem tenho prazer. Porei nele o meu Espírito, e ele trará justiça às nações. Não gritará nem clamará, nem erguerá a voz nas ruas. Não quebrará o caniço rachado, e não apagará o pavio fumegante. Com fidelidade fará justiça; não mostrará fraqueza nem se deixará ferir, até que estabeleça a justiça sobre a terra. Em sua lei as ilhas porão sua esperança.” (Isaías 42:1-4)

Muitas pessoas me perguntam como devem fazer para compartilhar o Monoteísmo com seus familiares e amigos.

Quando olhamos para o versículo acima, no qual o Senhor descreve como Israel deveria agir com as outras nações, percebemos uma coisa curiosa: O segredo não está nas palavras, mas sim na atitude.

O Senhor diz que a verdade e a justiça não serão ensinadas por falar nas ruas ou erguer a voz. Não é porque você tem esse ou aquele material, ou porque mandará essa ou aquela passagem bíblica. É pela forma como você vai agir.

Se você tem uma fé viva e firme no Senhor, certamente isso te modificou. Você se tornou uma pessoa mais amorosa, mais íntegra, e preocupada com fazer o que é correto perante o Altíssimo. E se isso ainda não aconteceu, bem, então você precisa cuidar primeiro de se transformar para depois tentar transformar o outro.

O verdadeiro servo do Altíssimo fala através de suas atitudes, não de suas palavras.

Se você for uma pessoa diferente, não na aparência mas sim na essência, os outros irão perceber. E naturalmente procurarão você para orar por eles, ou nos tempos de angústia, ou para aprender alguma coisa sobre o Senhor.

É claro que falar e transmitir conhecimento é importante. O servo não gritar não significa que ele deva ser mudo. Mas as suas palavras são um complemento para o seu testemunho, e não o testemunho como um todo.

Fale sobre o Senhor com suas atitudes, e as pessoas te ouvirão com seus corações.