Sanitário de Baal confirma a Bíblia Hebraica

0
1057

“Também quebraram a estátua de Baal; e derrubaram a casa de Baal, e fizeram dela latrinas, até ao dia de hoje. E assim Jeú destruiu a Baal de Israel.” (2 Reis 10:27-28)

Durante séculos, céticos pensavam que a passagem acima fosse algum tipo de deboche polêmico contra Baal. Porém, um incrível achado arqueológico revela que transformar os templos de Baal em latrinas era algo bastante literal, confirmando a veracidade do texto bíblico.

Um dos sítios arqueológicos mais importantes de Israel é a cidade de Tel-Lachish, uma antiga fortificação situada na região central de Israel, dentro do que na época seria o Reino de Judá.

Segundo o profeta Jeremias, Tel-Lachish foi uma das últimas cidades de Judá a resistir à invasão babilônia: “Quando o exército do rei de babilônia pelejava contra Jerusalém, e contra todas as cidades que restavam de Judá, contra Lachish e contra Azeca; porque estas fortes cidades foram as que ficaram dentre as cidades de Judá.” (Jeremias 34:4)

Em 2017, uma equipe de arqueólogos descobriu uma espécie de vaso sanitário primitivo localizado dentro das ruínas de um antigo templo de Baal. Para surpresa da equipe, a latrina primitiva estava colocada exatamente no local que seria considerado o santo dos santos!

A latrina foi datada de cerca do século 8 a.e.c., à época do rei Ezequias, um dos reis que a Bíblia Hebraica diz que mais combateu a idolatria. (vide 2 Reis 18)

Mas,  fica uma dúvida: Por que transformar os templos de Baal em latrinas?

Para o leitor ocidental do século 21, fica parecendo uma provocação ou deboche, mas o objetivo era muito diferente.

Na cultura do antigo Oriente Médio, os templos eram literalmente como casas para os deuses. Da mesma forma que uma pessoa não ficaria numa casa imunda, assim era com os deuses. Razão pela qual existe na Bíblia Hebraica toda uma preocupação com pureza cerimonial, para que os israelitas não pensassem que a Presença do Eterno deixou o lugar.

Excrementos eram tidos como fatores que geravam impureza cerimonial. Por isso, a Bíblia Hebraica diz: “E entre as tuas armas terás uma pá; e será que, quando estiveres assentado, fora, então com ela cavarás e, virando-te, cobrirás o que defecaste. Porquanto o ETERNO teu Senhor anda no meio de teu arraial, para te livrar, e entregar a ti os teus inimigos; pelo que o teu arraial será santo, para que ele não veja coisa feia em ti, e se aparte de ti.” (Deuteronômio 23:13-14)

Quando o Eterno rejeita os sacerdotes corruptos no livro de Malaquias, o profeta descreve a rejeição expulsão desses sacerdotes usando também essa imagem: “Eis que reprovarei a vossa semente, e espalharei esterco sobre os vossos rostos, o esterco das vossas festas solenes; e para junto deste sereis levados.” (Malaquias 2:3)

Sendo assim, o que objetivava Ezequias ao determinar a instalação de uma latrina nesse antigo templo de Baal? Torná-lo um lugar de impureza cerimonial, para que Baal não voltasse ali a ser cultuado.

O local profanado com imundícias mostrava que Baal não poderia cuidar nem de sua própria casa e que havia sido expulso daquela região, pelas mãos dos servos do Eterno.

Pode soar estranho para a nossa cultura, mas para a cultura dos israelitas nos tempos de Ezequias, essa seria uma forma inteligentíssima de impedir – ou, pelo menos, dificultar – o retorno à idolatria.

Fontes:
MEDRANO, Kastalia. Toilet Found in 3,000-Year-Old Shrine Verifies Bible Stories Against Idol Worship. Newsweek, 2017. Disponível em <https://www.newsweek.com/toilet-discovered-middle-ancient-jerusalem-shrine-written-bible-king-hezekiah-712800> . Acesso em 08/08/2017

USSISHKIN, David. Excavations and Restoration work at Tel Lachish. Institute of Archaeology of Tel Aviv University, Disponível em <http://archaeology.tau.ac.il/?page_id=2045>. Acesso em 08/08/2017

Facebook Comments