O Pilar da Razão

O Monoteísta reconhece que o Universo obedece à lógica do Criador, pois é dito: “O ETERNO pela sabedoria fundou a terra; pelo entendimento estabeleceu o céu.” (Pv. 3:19)

Quando o Eterno fez sua aliança nacional com Israel, assim disse sobre os mandamentos: “Guardai-os e observai-os, porque isso é a vossa sabedoria e o vosso entendimento à vista dos povos, que ouvirão todos estes, estatutos, e dirão: Esta grande nação é deveras povo sábio e entendido.” (Dt. 4:6)

Assim sendo, o Monoteísmo Bíblico é avesso a simpatias, superstições, e crendices. As superstições não evocam o sentimento de que alguém é sábio e entendido.

O Monoteísta não é cético, pois tem fé no Eterno, e acredita no sobrenatural. Porém, também compreende que tudo nas Escrituras tem uma razão de ser, e que é fundamental buscar uma lógica racional para compreender as ordens do Criador.

Isso é fundamental, inclusive, para a prática do Pilar do Exemplo. Isto é, para que se aplique na prática os conceitos espirituais transmitidos pelo Criador, é preciso fazer distinção entre a essência do mandamento, e aquilo que está relacionado com a realidade que Israel vivia nos tempos bíblicos.

Facebook Comments