Quando a raiva faz mal

0
1100

Noutro texto, falamos sobre a relação entre a raiva e o pecado, mostrando que o pecado não está em sentir raiva, mas sim no que fazer com ela. Porém, mesmo quando não é pecado, a raiva pode ainda fazer muito mal.

Um importante jornal de medicina nos EUA, chamado Journal of Advancement in Medicine, publicou em 1995 um artigo do professor doutor Glen Rein que estudou os efeitos da raiva e de outros sentimentos estressantes sobre o corpo e sobre a mente das pessoas.

É uma pena que esse artigo tenha tido pouca difusão na mídia, pois os resultados foram impressionantes. Até cinco minutos de raiva podem baixar a imunidade por até seis horas, além de causar problemas como infarto e derrame.

Em outras palavras: Raiva é coisa séria.

Nós fomos biologicamente projetados para sentir raiva porque a agressividade é um instinto importante para nossa sobrevivência. É o que faria, por exemplo, uma mãe partir pra cima de uma pessoa que esteja ameaçando o seu filho, entre outras coisas.

Porém, como tudo na vida, a raiva só é boa nas circunstâncias adequadas. No geral, sentir muita raiva no dia-a-dia é bastante ruim.

A Bíblia Hebraica nos diz: “Não sejas dominado pela ira; deixa a ira. Se te irritares, será só para teu prejuízo.” (Salmo 37:8)

Mesmo que não cheguemos a pecar, sentir raiva pode nos fazer mal.

É importante, porém, entender que a raiva não é algo que a gente consegue controlar. Nós podemos tentar controlar a causa, ou o que fazemos com a raiva. Mas, não controlamos o sentimento propriamente dito.

Ou seja, o segredo e trabalhar o antes e o depois. Vejamos como:

1) Evite situações que te deixam irritado.

Todo mundo sente raiva em alguma situação. Aceite que você é um ser humano, e não um ser celestial tocando harpa em cima da nuvem.

Mesmo coisas pequenas podem te causar raiva, e você não controla isso. Sendo assim, procure evitar aquelas situações que você sabe que vão te causar raiva.

Por exemplo, pra quê sair com aquele amigo que você sabe que vai te alfinetar? Pra quê entrar numa discussão com alguém que você sabe que vai brigar? A melhor maneira de evitar a raiva é detectando essas circunstâncias e evitando-as.

2) Expresse a raiva sentida.

Como dissemos no outro artigo, se você sentiu raiva precisa por pra fora. Desabafe com uma pessoa de confiança, ou procure uma pessoa sábia para dividir a questão. Grite sozinho dentro do carro com as janelas fechadas, ou ore e diga ao Senhor como se sente. De um jeito ou de outro, coloque pra fora para que você não imploda.

3) Reflita sobre a causa.

Passado o calor dos acontecimentos, procure entender o que foi que te fez sentir raiva. Procure tentar entender melhor a situação e ver como fazer para evitar ao máximo passar por aquilo novamente.

E lembre-se: A oração é sua melhor amiga nesses momentos. Não deixe que a raiva prejudique sua saúde física, mental nem espiritual.