Por que o Eterno precisa provar a minha fé?

0
1717

“Pois tu, ó Senhor, nos submeteste à prova e nos refinaste como a prata. Fizeste-nos cair numa armadilha e sobre nossas costas puseste fardos. Deixaste que os inimigos cavalgassem sobre a nossa cabeça; passamos pelo fogo e pela água, mas a um lugar de fartura nos trouxeste.” (Sl. 66:10-12)

A Bíblia Hebraica por várias vezes usa a metáfora da purificação de metais para falar de como nós somos provados. Um metal, para ser purificado, geralmente é submetido a temperaturas altíssimas, para que as impurezas possam dele se desprender.

A mensagem é clara: Ter a sua fé provada não é nada trivial. É um processo bastante difícil e, geralmente, muito doloroso.

A pergunta que fica é: Para que o Eterno prova a nossa fé? Afinal, se Ele sabe todas as coisas, por que precisamos passar por uma provação? Ele, afinal, já tem informações suficientes sobre isso.

Sim, Ele tem informações sobre isso. Mas, nós não temos. E, frequentemente, nos iludimos.

Em dado momento, o profeta Jeremias disse a Amom: “Enganou-te a arrogância do teu coração.” (Jr. 49:16)

Muitas vezes, nós achamos que amamos o Eterno, que confiamos nEle, que Ele é uma prioridade em nossas vidas. Mas, mediante a provação, tudo vem abaixo como um castelo de areia, pois não tinha nenhum fundamento.

Já perdi as contas de quantas vezes vi pessoas que tinham aparência de santidade, mas que ao menor sinal de dificuldade ou de insatisfação com suas vidas, tornaram-se amargurados, alguns terminando por serem agnósticos ou até ateus!

Aí vem a pergunta: Será que se tornaram tal coisa, ou o Eterno apenas expôs aquilo que estava dentro do coração? Para os homens pode parecer que mudaram, mas o Eterno conhece a essência de tudo.

Mas existe também a contrapartida a isso. O justo também pode ser provado.

Lembro-me que muitos anos atrás eu passei por um período em que acho que não só cheguei ao fundo do poço, como ainda cavei o fundo. Fui humilhado, maltratado, passei por injustiça, fui caluniado, e cheguei a uma situação financeira tão terrível ao ponto de passar fome e chegar a não ter luz elétrica em casa. Chorava todas as noites até pegar no sono, quando conseguia.

E como eu orava! Orava a todo tempo. Quando não estava fazendo qualquer outra coisa, estava orando ou estudando as Escrituras.

E nada do Eterno me ouvir, pensava eu. Já não entendia mais o porquê daquilo. Mal sabia eu que minha fé estava sendo provada, depurada e que eu estava sendo preparado para o que viria depois.

Já quase totalmente destruído, foi então que o Eterno me reergueu. Pouco a pouco, fui refazendo minha vida. Pude então ter uma experiência magnífica com Ele. Porque Ele me conduziu de uma forma que jamais imaginava.

E hoje percebo que tudo aquilo que passei serviu para fortalecer minha confiança nEle, bem como para moldar o meu caráter e me preparar para poder ajudar outras pessoas, compreendendo melhor a dor do meu próximo.

Lembre-se: Antes de se tornar um dos maiores homens da história, Moisés teve que perder tudo e sair fugido de perto de sua família, seus amigos e tudo aquilo que conhecia. Largou uma vida de luxo e suntuosidade para se tornar pastor de rebanho numa região semiárida.

A provação da fé não é para benefício do Eterno. É para nosso benefício. Ela revela o nosso interior, trata aquilo que precisa tratar, e nos prepara para um verdadeiro encontro com Ele.

Se você busca o Criador, anda em retidão e mesmo assim as lágrimas e provações têm sido constantes em tua vida, alegre-se! Saiba que você está sendo preparado para algo muito maior, que ainda está oculto, mas que no tempo certo será revelado.

Aproveite esse período perguntando ao Eterno: O que devo extrair de lição de tudo isso? Ele sempre responde, embora não necessariamente da maneira que esperamos.

E tenha sempre em mente: “Muitos propósitos há no coração do homem, porém o conselho do ETERNO permanecerá.” (Pv. 19:21)

Facebook Comments