Os Três Inimigos da Prosperidade

0
761

Talvez um dos pedidos mais frequentes nas orações seja por prosperidade. E, pautado na Bíblia Hebraica, tenho absoluta convicção de que o Eterno deseja nos prosperar. Contudo, nem tudo depende dEle.

Se desejamos obter prosperidade, há três grandes inimigos que precisamos derrotar. E isso cabe tão somente a nós, não depende dEle. Porque esses inimigos moram dentro de nós:

1) A Acomodação
Tem gente que confunde acomodação com preguiça, mas são coisas completamente diferentes. A preguiça é a falta de iniciativa de trabalhar. Muita gente é esforçada, mas ainda assim não sai do lugar. A acomodação pode ser uma das razões.

Diante do caminho no deserto, o povo disse a Moisés: “Lembramo-nos dos peixes que no Egito comíamos de graça; e dos pepinos, e dos melões, e dos alhos porós, e das cebolas, e dos alhos.” (Números 11:5)

A vida do povo no Egito era terrível (vide Êxodo 1:13-14). Porém, o medo de encarar novos desafios e passar pelo deserto os fazia preferir ficar sofrendo a arriscar coisas novas. (Eu falo sobre isso neste artigo).

Se você for ler ou ouvir a história de gente que deu certo, perceberá que nada começou fácil. O caminho da prosperidade é como o deserto até Canaã: Ele é cheio de dificuldades, de sacrifícios pessoais e de muito, mas muito esforço. Mas, principalmente, ele exige vontade de mudar.

Oportunidades de mudança sempre surgem. Mas, a acomodação nos faz pensar como os israelitas: “Ah, é difícil… Ah, eu não posso… Ah, eu não consigo…” Nós mesmos nos derrotamos antes de começar!

Se não virarmos o jogo contra a acomodação – aquele sentimento de inércia que nos mantém fazendo diariamente a mesma coisa e esperando resultados diferentes – jamais seremos prósperos.

O Eterno nos ajudará a vencer todas as dificuldades, exceto aquelas que são impostas por nós mesmos, porque Ele não faz a parte que cabe a nós.

2) A Pressa
Se a acomodação é a nossa dificuldade de começar a caminhar, a pressa é nossa inimiga porque se refere à dificuldade de encontrar um ritmo certo. É como aqueles maratonistas que começam a prova em disparada, mas logo o fôlego acaba e eles são ultrapassados pelos competidores mais experientes.

Muita gente se perde do caminho da prosperidade porque busca atalhos, formas rápidas e fáceis de enriquecer. E, geralmente, essas coisas só levam à destruição.

É importante lembrar-se do conselho bíblico: “Não é bom ter zelo sem conhecimento, nem ser precipitado e perder o caminho.” (Provérbios 19:2)

Aquele que deseja prosperar precisa traçar metas de médio e longo prazo e evitar se distrair delas, ou a tentação de ir por caminhos fáceis.

3) A Ganância
A acomodação é inimiga do início, a pressa é inimiga do ritmo, e a ganância é inimiga do saber a hora de parar.

A Bíblia Hebraica nos diz: “O rei Salomão era o mais rico e o mais sábio de todos os reis da terra.” (1 Reis 10:23)

No entanto, isso parece não ter sido suficiente para o seu filho Roboão, que quis lucrar ainda mais em cima do povo (vide 1 Reis 12:11). Eu falo mais sobre esse episódio nesse artigo (veja aqui).

A ganância pode atrapalhar de duas formas: A primeira, quando a pessoa quer tanto ser mais e mais próspera que põe tudo a perder. E a segunda, quando a pessoa não sabe a hora de parar de insistir num caminho que já não deu certo.

Roboão cometeu esses dois erros. Primeiro, quando quis ter mais do que seu pai. Segundo, quando a situação degringolou e ele não foi capaz de rever sua postura e dialogar com seus adversários.

Conclusão
Como podemos ver, esses três inimigos precisam ser derrotados para que tenhamos a chance de alcançar a prosperidade. E está em nossas mãos derrotá-los.

Quando Josué estava à beira da terra da promessa, prestes a enfrentar seus inimigos, o Eterno disse: “Ninguém te poderá resistir, todos os dias da tua vida; como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei nem te desampararei.” (Josué 1:5)

O Eterno prometeu estar com ele, mas ainda assim Josué teve que lutar contra seus inimigos. Se foi assim quanto a inimigos externos, quem dirá contra aqueles que estão dentro de nós mesmos.

Facebook Comments