Posso ser punido pelo pecado de meus pais?

1
1271

“Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o ETERNO teu Senhor, sou Senhor zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam. E faço misericórdia a milhares dos que me amam e aos que guardam os meus mandamentos.” (Êxodo 20:5-6)

Será que o Senhor realmente permite que sejamos punidos pelos pecados de nossos pais?

Para entender o que o Senhor disse no Decálogo, observe a seguinte passagem:

“Além disso, todos os líderes dos sacerdotes e o povo se tornaram cada vez mais infiéis, seguindo todas as práticas detestáveis das outras nações e contaminando o templo do Senhor, consagrado por ele em Jerusalém. O ETERNO, o Senhor dos seus antepassados, advertiu-os várias vezes por meio de seus mensageiros, pois ele tinha compaixão de seu povo e do lugar de sua habitação. Mas eles zombaram dos mensageiros do Senhor, desprezaram as palavras dele e expuseram ao ridículo os seus profetas, até que a ira do ETERNO se levantou contra o seu povo, e já não houve remédio.” (2 Crônicas 36:14-16)

Nesse trecho, observamos que a paciência do Senhor se esgotou. Por várias gerações, o Senhor tinha alertado o povo de Judá que voltasse para seus caminhos, deixando de lado a idolatria e a injustiça. Mas ninguém deu ouvidos aos profetas do Senhor.

Sempre chega um momento em que a paciência do Senhor se esgota. Nesse caso, quando chegou o tempo da punição, quem pagou o pato foi a geração que esgotou a paciência do Senhor.

Em outras palavras: O Senhor não vai punir um filho justo por causa de um pai iníquo. Mas se um povo repetidamente anda em desobediência, o Senhor pode punir, e aí os filhos sofrerão as consequências do que seus pais fizeram.

Porém, existe uma contrapartida a isso: Repare como o Senhor diz que quando nós O amamos, Ele é misericordioso por muitas gerações. Observe:

“Apesar disso, quando estiverem na terra do inimigo, não os desprezarei, nem os rejeitarei, para destruí-los totalmente, quebrando a minha aliança com eles, pois Eu sou o ETERNO, o Senhor deles. Mas por amor deles eu me lembrarei da aliança com os seus antepassados que tirei da terra do Egito à vista das nações, para ser o Senhor deles. Eu sou o ETERNO.” (Levítico 26:44-45)

Por causa dos justos de Israel, que tiveram aliança com o Senhor, Ele se comprometeu a jamais abandonar seus descendentes no exílio!

Ou seja, quando uma pessoa é justa, o Senhor não é misericordioso só com ela. O senhor também é misericordioso com seus descendentes por milhares de gerações!

Pense, portanto, em como isso é maravilhoso! Mesmo o seu tataraneto, que talvez você só venha a conhecer no mundo vindouro, gozará do amor do Eterno por sua causa! Ele será paciente e misericordioso.

Mas, claro, tudo tem um limite. Se repetidamente as pessoas abandonarem o Senhor voluntariamente, em algum momento a conta chega. E uma geração posterior pode pagar o preço de várias gerações que deixam os caminhos do Criador.

A punição, porém, é sempre avisada. Não faltaram profetas para ambos os reinos (Judá e Israel), que os incentivassem a voltar a andar na linha. E eles insistiram, geração após geração, a andar no erro.

E repare: Não foi porque eles pecaram, pois todo mundo peca, e nisso o justo e o ímpio se assemelham. A diferença é que o ímpio escolhe conscientemente abandonar os caminhos do Senhor.

Portanto, você não deve temer essa situação. Se você está lendo este texto, provavelmente é porque você quer saber mais sobre o Eterno, bendito seja, e tem interesse em viver na presença dEle. Você não será, portanto, atingido por essa circunstância.

Essas passagens da Bíblia não foram escritas para deixar você em pânico, mas sim para mostrar que o Eterno é extremamente misericordioso, mas que também quer que tenhamos seriedade em nossas escolhas.