A Criação da Mulher – Parte 1: A Costela

2
2413

“E da costela que o Senhor ETERNO tomou do homem, formou uma mulher, e trouxe-a a Adão.” (Gênesis 2:22)

Acredite: Este é um dos versículos mais mal compreendidos da Bíblia. Muita gente acha que a Bíblia, nesse trecho, está dando uma aula de anatomia sobre a origem da mulher.

Na verdade, os termos usados no Éden já eram conhecidos dos povos semitas na antiguidade: Serpente, árvore da vida, jardim, tudo isso fazia parte do folclore popular sobre a origem da vida. E por isso a Bíblia usa dessa linguagem para esclarecer a verdade.

A palavra geralmente traduzida como “a costela” (ha’Selá` – הַצֵּלָ֛ע) significa literalmente “lado”. E é assim usada em vários versículos da Bíblia. Observe dois, dentre os inúmeros exemplos:

“Fundiu para ela quatro argolas de ouro seus quatro cantos; a saber, duas argolas num lado [sal`ô -צַלְע֖וֹ] dela, e duas noutro.” (Êxodo 37:3)

“A porta para a câmara lateral [ha’Selá` – הַצֵּלָ֛ע] do meio estava à banda direita da casa; subiam por uma escada para o andar do meio, e do andar do meio para o terceiro.” (1 Reis 6:8)

Mas, então, qual o sentido de dizer que a mulher veio “do lado” do homem?

A resposta está, novamente, no folclore da região. Era comum no Oriente Médio antigo a crença de que a mulher foi criada inferior ao homem. Em alguns casos, a mulher havia sido criada para seduzir e manipular o homem.

No famoso texto do Épico de Gilgamesh, por exemplo, os deuses criam uma mulher-meretriz para manipular o homem, seduzindo-o através do sexo. Por isso, a Bíblia faz questão de dizer que a mulher foi criada idônea (Gn. 1:20).

Para que a Bíblia pudesse transmitir sua mensagem de justiça e amor, essa visão extremamente negativa da mulher era um obstáculo que precisava ser vencido.

Por essa razão, o Senhor afirma: A mulher não foi criada como inferior ao homem. Ela não foi criada para servi-lo, como uma criatura inferior.

Ela também não foi criada para seduzi-lo, nem levá-lo ao mal caminho. Ela foi criada em pé de igualdade com o homem, da mesma essência divina (Gn. 1:27), para ser uma companhia auxiliadora (Gn. 1:20), não rival ou capacho.

A lição da Bíblia, como dito, não é uma aula de anatomia ou biologia. A lição é: Um servo do Altíssimo não deve ver as mulheres com olhos de desconfiança ou inferioridade. Pelo contrário, deve lutar para que as mulheres sejam tratadas com a importância, o amor e o respeito que merecem.

Facebook Comments