Você NÃO é um gentio

2
2745

I – Introdução
“Ele é goy! Cuidado com ela, é gentia… Hoje não é para goy.” 

Ah, quantas frases preconceituosas são ditas hoje por muitos que dizem praticar o Judaísmo! É algo de dar vergonha a nossos pais que pereceram no holocausto justamente debaixo do preconceito.

Mas, cá estamos para acabar, de uma vez por todas, com esse tipo de preconceito.

Vejamos o que significam as palavras “gentio” e “goy”.

II – Definição das Palavras
O Dicionário Michaelis assim define “gentio”:

“1 Que ou quem segue o paganismo.
2 Que ou aquele que não é civilizado.
3 Para os hebreus, que ou aquele que é estrangeiro e não é sectário do judaísmo.
4 Para os cristãos, que ou aquele que preconizava o paganismo.”

A primeira e última definições dificilmente se aplicam a você. A segunda definição, espero que também não se aplique! Aliás, se aplica mais aos preconceituosos do que a quem sofre preconceito.

Resta então a definição de número 3: Uma pessoa que é estrangeira. É o termo que geralmente traduz, no português, a palavra goy.

Não deveria, pois vemos que essa palavra é pejorativa! Da mesma forma que nós judeus não gostamos do termo “judiar” ou de “marrano” porque eram de origem pejorativa, assim também não temos o direito de tratar os outros de forma preconceituosa.

Vejamos o que significa, na realidade, a palavra goy no hebraico bíblico.

1) A NAS Exhaustive Concordance: nação, povo.
2) O Brown-Driver-Briggs: nação, povo.
3) A concordância Strong mostra que o termo aparece 561 vezes na Bíblia Hebraica, sempre significando nação.

Mas não é só isso, o próprio termo “goy” é usado para uma nação. Não existe, no hebraico bíblico, o termo “gentio” – isto é – algo para designar pessoas pagãs não-civilizadas. O termo é usado somente para nações, inclusive para Israel!

Vejamos alguns exemplos a partir da Bíblia Hebraica.

III – No Pentateuco (Torá)

Já no próprio livro de Gênesis, Jacó é chamado de goy. Observe:

“Disse-lhe o Eterno: “Duas nações [goyim] estão em seu ventre, já desde as suas entranhas dois povos se separarão; um deles será mais forte que o outro, mas o mais velho servirá ao mais novo”.” (Gn. 25:23)

Em Gênesis 35:11, também: “E o Senhor ainda lhe disse: “Eu sou o El Shaday; seja prolífero e multiplique-se. De você procederão uma nação [goy] e uma comunidade de nações [goyim], e reis estarão entre os seus descendentes.”

E ainda também em Gênesis 46:3: ““Eu sou o Senhor, o Senhor de seu pai”, disse ele. “Não tenha medo de descer ao Egito, porque lá farei de você uma grande nação [goy].”

O mesmo é dito sobre Efraim, filho de José, em Gênesis 48:19b: “seus descendentes se tornarão muitos povos [ha’goyim].””

Moisés, falando sobre Israel, diz ao Senhor: “Lembra-te de que esta nação [ha’goy] é o teu povo.” (Ex. 33:13)

Falando sobre a sabedoria de Israel, as nações dirão: “De fato esta grande nação [ha’goy] é um povo sábio e inteligente.” (Dt. 4:6)

Ainda sobre Jacó, é dito: “Ele desceu ao Egito com pouca gente e ali viveu e se tornou uma grande nação [le’goy], poderosa e numerosa.” (Dt. 26:5)

IV – No Restante da Bíblia Hebraica

Nos livros proféticos, também encontramos o mesmo fenômeno. Observe os exemplos abaixo:

“Quando toda a nação [ha’goy] terminou de atravessar o Jordão, o Eterno disse a Josué…” (Js. 4:1)

“Ah, nação [goy] pecadora, povo carregado de iniqüidade! Raça de malfeitores, filhos dados à corrupção! Abandonaram o Eterno; desprezaram o Santo de Israel e o rejeitaram.” (Is. 1:4)

“Portanto, diga a eles: ‘Esta é uma nação [ha’goy] que não obedeceu ao Eterno, ao seu Senhor, nem aceitou a correção.” (Jr. 7:28a)

“Ele disse: “Filho do homem, vou enviá-lo aos israelitas, nação rebelde que se revoltou contra mim; até hoje eles e os seus antepassados têm se revoltado contra mim.” (Ez. 2:3)

Também nos demais Escritos da Bíblia Hebraica encontramos o mesmo, como por exemplo:

“Dizem eles: Vinde, e apaguemo-los para que não sejam nação [mi’goy], nem seja lembrado mais o nome de Israel.” (Sl. 83:4)

E o que não aparece NENHUMA VEZ? O termo “goy” sendo usado para indivíduos, ou para fazer diferença entre um indivíduo israelita e um de outra nação!

A única exceção é quando se está falando do indivíduo representando uma nação, como no caso dos dois filhos de Rebeca como “duas nações brigando no ventre.”

V – Termo Pejorativo?

E o termo GOY significa algo negativo na Bíblia Hebraica? De forma alguma!

Vemos o termo sendo usado positivamente, como a “grande nação” em Gn. 46:3, a “nação sábia” em Dt. 4:6 ou mesmo “nação poderosa e numerosa” em Dt. 26:5.

O problema de interpretação, portanto, está no fato de que a expressão “as nações”, ha’goyim, foi usado muitas vezes para falar de nações inimigas (ex: Nm. 24:8), como os filisteus, ou nações idólatras (ex: Sl. 135:15).

Infelizmente, isso é tirado de contexto para tentar justificar que, de alguma forma, as nações sejam ruins por si próprias, ou que Israel tenha uma conduta melhor do que os demais.

Pelo contrário, a Bíblia Hebraica diz: “Louvem o Eterno, todas as nações [goyim]; exaltem-no, todos os povos!” (Sl. 117:1)

E lembremo-nos sempre: “A justiça engrandece a nação [goy], mas o pecado é uma vergonha para qualquer povo.” (Pv. 14:34)

Se o povo de Israel deseja sair do exílio, então nossos pecados devem ser tratados. E vale lembrar que, em meio à lista de pecados citados pela Bíblia Hebraica está o maltratar uma pessoa que viesse de outra nação:

“Também não oprimirás o estrangeiro; pois vós conheceis o coração do estrangeiro, pois fostes estrangeiros na terra do Egito.” (Ex. 23:9)

Já na literatura rabínica posterior, o termo começa a ser aplicado a estrangeiros. Mas, em princípio, não a qualquer estrangeiro, mas sim àqueles que viessem de nações pagãs.

Infelizmente, tornou-se palavra muito usada para fazer uma espécie de distinção espiritual entre judeus e não-judeus. O que é terrível.

V – Missão Conclusão

Israel tem uma missão especial? É claro que tem! E o objetivo deste artigo não é, em hipótese alguma, negar que Israel seja povo escolhido. E que objetivo é esse?

Israel foi escolhido para ser um modelo de uma teocracia justa, para que as nações pudessem aprender sobre como andar na retidão do Criador. E não foi escolhido por mérito próprio (vide, por exemplo, Isaías 42 quando fala do servo).

Mas, não se é luz maltratando, nem se ensina qualquer coisa subestimando. Muito menos ainda quando surgem teorias malucas, tais como a de que os não-judeus não teriam alma divina – um argumento, aliás, que já foi usado para escravizar negros. Além de ser um pensamento que acaba estimulando o antissemitismo, é um pensamento odioso e anti-bíblico.

Se essas doutrinas surgem, é porque o terreno é fértil. Sendo assim, convido a todos os leitores, judeus ou de qualquer outra nação, a deixar de lado o preconceito.

E agora me dirijo a todos os filhos do Altíssimo que aqui me lêem: Você não é pagão, nem não-civilizado, muito menos ainda uma nação inteira. Logo, você não é gentio nem goy. Não aceite sobre si rótulos preconceituosos e anti-bíblicos.

E o que você é? Você é um Filho do Altíssimo, precioso para o Pai Celestial. Você tem potencial divino e o Senhor tem grandes planos para ti, não só nesta vida quanto na próxima. E Ele te convida a ser Monoteísta.