Como ter a Fé de Abraão – Parte I

2
1686

Muita gente gostaria de ter a fé de Abraão. Porém, por entender fé de uma maneira completamente equivocada, acabam se frustrando.

Para compreender bem o que é a fé, imagine que você foi convidado para cantar em público e ficou apavorado com a ideia. Alguém te disse: Confie que vai dar tudo certo! Você continuou com medo, mas foi lá e cantou.

Agora pense no Plácido Domingo. Ele foi convidado para o mesmo evento. Uma pessoa disse: Confie que vai dar tudo certo! Ele respondeu: Claro, estou tranquilo! Sentindo-se confiante, foi lá e cantou.

Qual dos dois teve fé?

A resposta certa é: Você teve fé. O Plácido Domingo não precisava ter fé. Para ele, alguém dizer que precisava confiar era indiferente. Ele tinha experiência suficiente para ter auto-confiança. Então ele foi lá e fez o que precisava ter feito, com tranquilidade.

As religiões que se baseiam totalmente na manipulação emocional fazem as pessoas acharem que ter fé é impostar a voz, falar com convicção e demonstrar extrema confiança. Não é!

Mesmo supondo que essas pessoas estejam sendo sinceras, elas não precisam de fé. Se elas já são auto-confiantes por causa de suas experiências, a situação não é assustadora.

Se você sente medo diante de uma situação, alegre-se. É meio caminho andado pra você exercitar sua fé. Porque a fé é confiar no Senhor, mesmo quando as circunstâncias nos levariam a pensar o oposto. Ou seja, é confiar mesmo quando você está se borrando de medo.

Abraão foi uma pessoa cheia de incertezas. Observe seu comportamento em dois episódios distintos:

“E disse Abraão: Porque eu dizia comigo: Certamente não há temor do Senhor neste lugar, e eles me matarão por causa da minha mulher.” (Gênesis 20:11)

No episódio acima, Abraão teve medo. Por causa do medo, disse que Sara era sua irmã e quase tiveram, ele e Sara, graves problemas.

“Então disse Abrão: Senhor ETERNO, que me hás de dar, pois ando sem filhos, e o mordomo da minha casa é o damasceno Eliézer?” (Gênesis 15:2)

Nesse segundo episódio, Abraão teve medo de que não viesse a ter a descendência prometida.

Em ambos os casos, Abraão duvidou. Mas veja o que aconteceu nesse segundo caso:

“Então o levou fora, e disse: Olha agora para os céus, e conta as estrelas, se as podes contar. E disse-lhe: Assim será a tua descendência. E creu ele no Eterno, e imputou-lhe isto por justiça.”(Gênesis 15:5,6)

Se nessa segunda situação Abraão começou a história duvidando, só crendo no Senhor depois que o Senhor voltou a dizer o que já tinha dito antes, como pode Abraão ter sido tido como um justo?

A resposta é simples: Duvidar não é falta de fé.

Ter medo, ficar inseguro e ter dúvidas é algo que você não tem como controlar. Como psicanalista, escuto muitas pessoas dizendo que apresentam uma fachada de que está tudo bem, mas desabafam falando de todos os seus medos e dificuldades. O que é absolutamente normal.

Achar que ter fé é não sentir medo pode destruir completamente o seu relacionamento com o Criador. Porque você não vai conseguir controlar além de certo ponto, vai ver outras pessoas com aparência de tranquilidade e vai se deprimir.

Só que fé não é isso. Uma pessoa pode estar apavorada e ainda assim ter fé.

Porque a fé está na atitude, não no sentimento! É como o exemplo de cantar em público. Nesse exemplo, a pessoa que, mesmo apavorada, foi lá e fez o que precisava ser feito, teve fé.

Se você está diante de uma situação de problemas de saúde, ou dificuldade financeira… ou se teme um obstáculo a ser superado, uma situação nova ou desafiadora… se está com medo de cometer um erro ou ter algum imprevisto… você não tem falta de fé.

Pelo contrário, você tem uma oportunidade de exercitar sua fé.

Na primeira história, Abraão teve medo das consequências. Ao invés de orar e confiar no Senhor, resolveu contar uma meia-verdade e quase teve problemas graves.

Na segunda, Abraão teve medo e desabafou perante o Senhor. Não escondeu sua insegurança nem fingiu estar tudo bem. Contou-a ao Senhor.

Mesmo com medo, ele agiu fazendo tudo aquilo que o Senhor havia determinado. Ele não deixou de ter medo, mas sim confiou no Senhor e não buscou fazer a coisa da sua própria cabeça.

Isso é fé.

Quando estamos diante de um desafio, podemos vencer nosso medo ou podemos ser vencidos por ele. Vencer o medo não é fazê-lo desaparecer. É fazer o que é certo (ou necessário) mesmo tendo medo. Ser vencido pelo medo não é ficar apavorado, é se deixar ficar paralisado e nada fazer.

Você não escolhe como vai se sentir. Mas escolhe o que vai fazer.

Ficar paralisado pedindo mil sinais ao Senhor, quando você já sabe o que precisa ser feito, isso é falta de fé. E isso pode te prejudicar.

Porque o Senhor não vai fazer o seu medo desaparecer, pois isso infantiliza ao invés de trazer maturidade. Nem vai fazer o que você precisa fazer, pois essa é a sua parte.

Esse é o primeiro passo para ter a fé de Abraão: É escolher agir, mesmo quando se está com medo do resultado.

Lembre-se: Nem Abraão chegou à fé que o Senhor desejava sem pagar o preço da experiência. Até estar pronto, Abraão também quebrou a cara.

Facebook Comments