Cansaço Mental e Emocional

0
1114

Em dado momento, Davi e seus homens passaram pela seguinte situação:

“Ao chegarem a Ziclague, Davi e seus soldados encontraram a cidade destruída pelo fogo e viram que suas mulheres, filhos e filhas haviam sido levados como prisioneiros. Então Davi e seus soldados choraram em alta voz até não terem mais forças.” (1 Sm. 30:3,4)

Imagine a cena: Chegar num lugar e descobrir que sua mulher e filhos tinham sido capturados, não sabendo sequer o que lhes havia passado ou mesmo se seus familiares estavam vivos ou mortos. Certamente, o peso emocional de tal circunstância foi enorme!

Observe então o que aconteceu: “Davi e os seiscentos homens que estavam com ele foram ao ribeiro de Besor, onde ficaram alguns, pois duzentos deles estavam exaustos demais para atravessar o ribeiro. Todavia, Davi e quatrocentos homens continuaram a perseguição.” (1 Sm. 30:9-10)

Davi estava acompanhado de soldados treinados, em pleno vigor físico. Porém, o cansaço mental e emocional cobrou o seu preço e eles não conseguiram ter forças para perseguir os seus inimigos e acabaram ficando pelo meio do caminho.

Depois de uma série de desdobramentos, os homens que sobraram foram vitoriosos contra os inimigos. Alguns dentre os homens que estavam com Davi queriam ficar com todos os despojos de guerra, sem partilhá-los com aqueles que tinham ficado pelo caminho.

De modo que Davi lhes disse: “Quem concordará com o que vocês estão dizendo? A parte de quem ficou com a bagagem será a mesma de quem foi à batalha. Todos receberão partes iguais.” (1 Sm. 30:24)

Davi reconheceu uma coisa importantíssima: Como todo ser humano, seus homens tinham limites do que podiam suportar. Eles não eram culpados, nem poderiam ser responsabilizados, por terem simplesmente atingido esse limite.

Davi, em sua grande sabedoria, não os forçou a seguir, nem os penalizou porque estavam mental e emocionalmente exaustos.

Da mesma forma, o Eterno também não nos cobra além de nossa capacidade, tal como diz o salmista:

“Como um pai tem compaixão de seus filhos, assim o Eterno tem compaixão dos que o temem; pois ele sabe do que somos formados; lembra-se de que somos pó.” (Sl. 103:13-14)

Davi sabia. O Eterno sabe. Mas, e quanto a você?

Será que você tem respeitado seus próprios limites físicos? Será que precisará chegar aos limites da exaustão para se perceber um ser humano?

E lembre-se: A exaustão física é a mais fácil. Bastam algumas horas de repouso, uma refeição e uma boa noite de sono para nos recuperarmos.

Porém, a exaustão mental ou emocional não é assim tão simples. E, por essa razão, é bastante importante que estejamos atentos a ela e aos seus sinais.

Muitas vezes, o que tira nossas forças não é físico, mas sim as adversidades que nos consomem.

Saber a hora de parar e procurar se recuperar é fundamental. Você tem feito isso? Tem tirado tempo para si, entendendo que isso é importante?

Lembre-se que de nada adianta se exaurir. É importante confiar no Eterno, pois Ele está no comando de tudo:

“Será inútil levantar cedo e dormir tarde, trabalhando arduamente por alimento. O Etenro concede o sono àqueles a quem ama.” (Sl. 127:2)

Facebook Comments