O Pilar do Amor

No texto original da Bíblia, amor é melhor traduzido como doação, pois no hebraico vem da palavra ‘dar’, e portanto não é sentimento, mas sim uma atitude de doação.

A Bíblia nos ensina que o amor ao Eterno é uma característica dos que nEle confiam: “Alegrem-se, porém, todos os que se refugiam em ti; cantem sempre de alegria! Estende sobre eles a tua proteção. Em ti exultem os que amam o teu nome.” (Sl. 5:11)

O exemplo que o Eterno ensina é: “Ame o Eterno, o seu Senhor, de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todas as suas forças.” (Dt. 6:5)

Para fazer isso, é preciso entender o que é coração, alma e forças.

Coração na Bíblia diz respeito às nossas intenções e planos (Pv. 1921). Isso significa que tudo o que fazemos deve ser direcionado para ele:

  • Nós comemos e satisfazemos nossos corpos, porque precisamos ter saúde para servi-Lo.
  • Nós trabalhamos com esforço, porque precisamos do sustento para testemunhar dEle.
  • Nós buscamos lazer e repouso da mente porque precisamos de tranquilidade para buscá-Lo.

Alma, na Bíblia, é tudo aquilo que nos motiva e nos move. Quando comemos um banquete, é dito que cedemos àquilo que nossa alma deseja (Dt. 14:26). A alma está ligada à nossa vitalidade. Isso significa que devemos buscar sempre nos alegrarmos na presença do Eterno, fazendo para Ele festividades, refeições abundantes, e tudo aquilo que nos dá alegria; seja cantar, estudar, orar, o importante é ligar-se a Ele com frequência.

Quando a Bíblia diz que devemos amá-Lo de toda nossa força, isso diz respeito ao esforço empregado, fazendo tudo que estiver ao nosso alcance. Devemos nos esforçar e dar o nosso máximo, nos importando mais com o esforço do que com o resultado obtido. Ainda que não consiga fazer tudo, todo Monoteísta deve se alegrar com o esforço realizado.

A recompensa para quem ama o Eterno, por meio dessa aliança, é receber dEle misericórdia (Ex. 20:6), livramento (Sl. 91:14) e sustento (Sl. 145:20).

Já o aspecto do amor ao próximo diz respeito não a sentir por alguém algum tipo de sentimento, mas sim de se doar pelo próximo.

Sobre isso, nos é dito: “Porventura não é também que repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobres abandonados; e, quando vires o nu, o cubras, e não te escondas da tua carne?” (Is. 58:7)

O Monoteísta deve se esforçar para doar-se ao próximo, procurando cuidar de todos ao seu redor como cuidaria dele próprio. Mesmo daqueles que são seus adversários (Ex. 23:4) e até os desconhecidos em suas necessidades (Lv. 25:35).

Aquele que pratica esse aspecto da aliança recebe um dos bens mais preciosos que o Eterno pode lhes oferecer: O perdão de seus próprios pecados (Pv. 10:12, Is. 1:17-18)

Facebook Comments