Alimento Espiritual Bom x Tóxico

3
1474

“E vos darei pastores segundo o meu coração, os quais vos alimentarão com ciência e com inteligência.” (Jr. 3:15)

Um dos principais problema da Internet é também uma de suas maiores virtudes. A democratização da informação permite que todos se expressem em condições muito mais igualitárias, e que alcancem grandes públicos, mesmo sendo menos conhecidos.

Porém, isso é ao mesmo tempo bênção e maldição: Cada vez mais se vê proliferar mensagens tóxicas, com conteúdo questionável e que ao invés de incitar coisas boas, incitam apenas negatividade.

Frequentemente impressionados por líderes caricatos, ou por honrarias humanas, muitos acabam sem perceber que, como acontecia nos tempos do profeta Jeremias, estão sendo alimentados de coisas extremamente nocivas espiritualmente.

Sedentos por algum tipo de espiritualidade, as pessoas acabam dando ouvidos a discursos inflamados de ódio. Ódio a outras religiões, a outros grupos, enfim, a outros seres humanos.

Conseguem ainda, pela força de sua posição, convencer pessoas a deixarem o foco no Criador e se lançarem na direção da superstição, de práticas de ocultismo proibidas pelas Escrituras, de mecanizarem sua espiritualidade com medo de tudo e, principalmente, de introduzirem mediadores humanos entre elas e o Criador.

O que, então, devemos fazer, para evitar cair na armadilha do alimento tóxico? A resposta é mais simples do que parece:

1) Foco na Mensagem: Não avalie um conteúdo por quem o diz, mas sim por aquilo que ele traz. Não creia nalguma coisa por quem o disse, mas pelo que a mensagem está dizendo.

Lembre-se: “Agir com parcialidade não é bom.” (Pv. 28:21a)

2) Foco nas Escrituras: Muita gente se deixa levar por palavras e mais palavras bonitas, mas que estão totalmente distantes da mensagem da Palavra do Eterno. Por melhor que seja uma palavra, se o locutor não a ancora na Revelação do Senhor, de nada vale.

Lembre-se: “Lâmpada para os meus pés é Tua Palavra, e luz para o meu caminho.” (Sl. 119:105)

3) Compare os valores: A mensagem não pode destoar daquilo que o Criador nos revelou sobre Seu caráter, sobre Seus valores e, principalmente, sobre suas prioridades.

Exemplo: Excesso de foco ritualístico não é algo alinhado com as Escrituras. (Vide, por exemplo, Isaías capítulo 1)

Por fim, vale lembrar do seguinte: O próprio Criador brevemente nos alimentará não apenas com as delícias da terra, mas também com Sua Palavra.

E a Sua Palavra é uma palavra de amor, de perdão, de restauração, de justiça mas, acima de tudo, de igualdade entre todos os homens.

“Neste monte o Senhor dos Exércitos preparará um farto banquete para todos os povos, um banquete de vinho envelhecido, com carnes suculentas e o melhor vinho.” (Isaías 25:6)